CEDDI - Centro de Diagnósticos | Sua melhor opção em Ariquemes e Região | (69) 3535-2027

Biópsia - Prostata 

Se determinados sintomas ou resultados dos exames de rastreamento sugerem câncer de próstata, o médico solicitará a realização de uma biópsia da próstata para confirmação diagnóstica.

  A biópsia é um procedimento no qual uma amostra de tecido é removida e encaminhada para análise de um patologista. A biópsia por agulha é o principal método utilizado para diagnosticar o câncer de próstata. A biópsia é realizada geralmente pelo urologista, com o auxílio da ultrassonografia transretal para localizar a próstata.

  O procedimento consiste em inserir uma agulha através da parede do reto em direção à próstata. A extração da agulha remove, em fração de segundos, um pequeno cilindro (núcleo) do tecido. Esse procedimento é repetido várias vezes, até que se tenha uma quantidade de amostras suficientes para enviar ao laboratório de patologia.

  Após a realização da biópsia pode ser receitado um antibiótico para prevenir o risco de uma infecção. Nos primeiros dias após o procedimento o paciente poderá sentir algum desconforto ou até mesmo notar sangue na urina ou no sêmen.

Análise das Amostras da Biópsia

  Os patologistas classificam o câncer de próstata de acordo com o sistema de Gleason. Este sistema atribui um grau de Gleason, utilizando os números de 1 a 5 com base em quanto as células do tecido canceroso se parecem com o tecido normal da próstata:

  • Se o tecido canceroso se parece muito com o tecido normal da próstata, é atribuída a nota 1.
  • Se as células cancerosas e seus padrões de crescimento parecem muito anormais, ele é classificado com grau 5.
  • Os graus de 2 a 4 têm características entre estes extremos.

  Atualmente, a maioria das biópsias são de grau 3 ou superior, e as notas 1 e 2 não são usadas frequentemente.

  Como os cânceres de próstata muitas vezes têm áreas com diferentes graus, um grau é atribuído às duas áreas que compõem a maior parte do tumor. Estas duas notas são somadas para produzir a pontuação de Gleason. A classificação de Gleason pode variar entre 2 e 10, mas a maioria das biópsias alcançam, pelo menos, uma pontuação de 6.

  Existem algumas exceções a esta regra. Se o grau mais alto ocupa a maior parte da amostra, a nota para essa área é contada duas vezes como a pontuação de Gleason. Além disso, se 3 classes estão presentes em um núcleo da amostra, o grau mais alto é sempre incluído na pontuação de Gleason, mesmo que a maior parte do núcleo esteja ocupado por áreas do tumor com notas mais baixas.

  • Cânceres com pontuação de Gleason até 6 são frequentemente chamados de bem- diferenciados ou de baixo grau.
  • Cânceres com pontuação de Gleason de 7 são denominados moderadamente diferenciados ou de grau intermediário.
  • Cânceres com pontuações de Gleason de 8 a 10 podem ser chamados pouco diferenciados ou de alto grau.

Quanto maior a pontuação de Gleason, maior a probabilidade do tumor crescer e se espalhar rapidamente.

Laudo da Biópsia

  Se o câncer estiver presente, junto com o grau da doença, o laudo do patologista muitas vezes contém outras informações que podem dar uma ideia melhor da extensão da doença. Estas podem incluir:

  • Número de amostras de biópsia que contêm a doença, por exemplo, 7 de 12.
  • Porcentagem da doença em cada um dos núcleos.
  • Se o tumor está apenas de um lado da próstata ou se é bilateral.

Resultados Suspeitos

  Às vezes, quando o patologista examina as células da próstata, elas não parecem cancerosas, mas não são muito normais. Estes resultados são muitas vezes relatados como suspeito.

  • Neoplasia Intraepitelial Prostática - Existem alterações na forma como as células da próstata são vistas sob o microscópio, mas as células anormais não parecem ter se desenvolvido em outras partes da próstata, como aconteceria com as células cancerosas. A neoplasia intraepitelial prostática é frequentemente dividida em baixo e alto grau. Muitos homens começam a desenvolver a neoplasia intraepitelial de baixo grau em idades mais avançadas, mas não necessariamente desenvolvem o câncer de próstata. Se a neoplasia intraepitelial é de grau alto, existe uma chance de 20% a 30 % de que o câncer possa já estar presente em algum outro lugar na próstata.
  • Proliferação Atípica de Pequenos Acinos - Às vezes chamada apenas de atipia. Neste caso, algumas células parecem cancerígenas, mas a quantidade de células é pequena para se ter certeza. Existe uma grande chance de que o câncer esteja presente na próstata, razão pela qual muitos médicos recomendam a repetição da biópsia dentro de alguns meses.
  • Atrofia Inflamatória Proliferativa - Na atrofia inflamatória proliferativa, as células da próstata se observam menores do que o normal. Essa condição não é câncer, mas os pesquisadores acreditam que a inflamação possa às vezes levar à neoplasia intraepitelial prostática ou ao câncer de próstata.

Fonte: Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

 

 

Convênios

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Contatos

  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  +55 (69) 3535-2027
  +55 (69) 3535-4025
Alameda Piquiá, 1839 - Ariquemes-RO

CEDDI

A CEDDI – Centro de Diagnóstico é uma empresa localizada em Ariquemes, estado de Rondônia, iniciando suas atividades em dezembro de 2008, trabalhando em parceria com toda a classe médica e a população do município e região.

SAIBA MAIS